Provas académicas
Mestrado I. M. Veterinária
Mestrado Seg. Alimentar
Mestrado SPV
Doutoramentos
Provas de Agregação

CIISAs

 

   

A FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA

História
A Faculdade de Medicina Veterinária foi a primeira instituição dedicada à preparação de médicos veterinários em Portugal, tendo sido criada pelo Decreto de El-Rei D. Miguel publicado a 7 de Abril de 1830 na Gazeta de Lisboa. Surgiu nessa altura como a Real Escola de Veterinária.
Em 1852 o ensino da medicina veterinária é integrado no Instituto Agrícola. Este passará a denominar-se Instituto Geral de Agricultura em 1864 e Instituto de Agronomia e Veterinária em 1886.
Em 1910 dá-se a cisão entre o ensino da agronomia, da silvicultura e da veterinária passando a esta escola a denominar-se Escola de Medicina Veterinária até 1918, quando se passa a designar Escola Superior de Medicina Veterinária, por reconhecimento do ensino da medicina veterinária como ensino superior integrado no modelo universitário.
Em 1930 a ESMV foi uma das 4 escolas fundadoras da Universidade Técnica de Lisboa.
Finalmente em 1 de Agosto de 1989 adopta o actual nome: Faculdade de Medicina Veterinária.

A missão da FMV, de acordo com os seus Estatutos publicados em Diário da República, 2ªSérie, de 6 de Fevereiro de 2003, é referida como uma “intervenção em prol da qualidade e do desenvolvimento do País na área da Ciência Animal e em particular na área das Ciências Veterinárias”. Este documento define como Objectivos da FMV:
. dar formação de nível superior aos seus estudantes;
. contribuir para o progresso científico e o desenvolvimento tecnológico;
. prestar serviços qualificados à comunidade;
. disponibilizar acções de formação profissional;
. atribuir graus académicos e títulos honoríficos;
. coorperar com outras Instituições nacional e internacional em áreas científicas, técnicas e culturais; e
. consolidar a formação humana e cultural dos seus membros.

É na consecussão destes objectivos que se empenham docentes funcionários e estudantes da FMV.


Pessoal
Docentes – 70, dos quais 57 doutorados
Funcionários – 116, dos quais 33 com formação superior


Orgãos de Gestão

1. Assembleia de Representantes
A Assembleia de Representantes é constituída por delegados eleitos pelos respectivos corpos, pessoal docente, não docente e estudantes, sendo o seu número estabelecido da seguinte forma: 8 para os professores; 7 para outros docentes, 5 para os funcionários e 15 para os estudantes. Entre outras competências estatutárias, compete à Assembleia de Representantes apreciar as linhas gerais de orientação, aprovar o relatório de actividades e plano de desenvolvimento da Faculdade e destituir o Conselho Directivo.

Profª. Doutora Maria da Conceição Peleteiro, Presidente
Prof. Doutor Carlos Andrade Fontes, Vice-Presidente
Secretários
Doutor Mário Alcântara de Melo
André Filipe Elias da Silva
e
15 Docentes
5 Funcionários
15 Estudantes


2. Conselho Directivo
O Conselho Directivo superintende na gestão administrativa, patrimonial e financeira. É composto por membros eleitos pelos diferentes corpos, tendo a seguinte constituição: dois professores, um outro docente, um funcionário e três estudantes. Dos professores, um ocupa o lugar de presidente e o outro o de vice-presidente.

Prof. Doutor Luis Manuel Morgado Tavares, Presidente
Profª. Doutora Ana Cristina Lobo Vilela, Vice-Presidente
Profª. Doutora Yolanda Vaz, Vogal
Dra. Maria Felicidade L. Nunes, Vogal
Estudantes:
Joana Grade Costa Almeida
Vasco Daniel Azeitona Martins
Carlota Graça Valente Torres Guerreiro


3. Conselho Científico
O Conselho Científico é o órgão responsável pela orientação da política científica, processos de recrutamento e selecção do pessoal docente, definição das linhas gerais dos programas de cooperação nacional e internacional e, em colaboração com o Conselho Pedagógico, pela elaboração do plano curricular. O Conselho Científico é constituído pelos professores catedráticos, associados, auxiliares e convidados e ainda pelos investigadores habilitados com o grau de Doutor, em efectividade de serviço docente e em regime de tempo integral.

Prof. Doutor Rui Manuel Horta Caldeira, Presidente
Prof. Doutor José Paulo Sales Luis, Vice-Presidente


4. Conselho Pedagógico
O Conselho Pedagógico estuda e aprecia as orientações, métodos, actos e resultados das actividades de ensino, no sentido de ser garantido o bom funcionamento dos cursos. É constituído por 2 professores, 2 outros docentes e 4 estudantes. De entre outras competências estatutárias, cabe ao Conselho Pedagógico a aprovação e divulgação das normas relativas ao funcionamento do curso, nomeadamente quanto aos horários, tipos e locais das aulas, calendário escolar, mapas de exames, publicação dos programas das disciplinas e regime de avaliação de conhecimentos. Compete ainda a este Conselho a aprovação dos planos de estudos em conjunto com o Conselho Científico e a nomeação do Professor Coordenador da Biblioteca e Complexo de Documentação.

Prof. Doutor Virgílio da Silva Almeida, Presidente
Profª. Doutora Marília Catarina fazeres Leal Ferreira, Vice-Presidente
Prof. Doutor Mário Pinho
Profª. Doutora Luisa Mateus
Estudantes
Joana Filipa Leite
Rui Manuel Santana Cepeda
Luis Nuno Fernandes Barros
Francisco Manuel Aparício da Conceição


5. O Conselho Administrativo é constituído pelo Presidente do Conselho Directivo, pelo Secretário da Faculdade ou, em sua substituição, pelo Vice-Presidente do Conselho Directivo, e pelo Chefe da Repartição de Contabilidade. Dispõe da competência fixada pela legislação em vigor para os órgãos dirigentes dos organismos públicos dotados de autonomia administrativa e financeira.


6. O Conselho Consultivo é o órgão de relacionamento da Faculdade com as entidades exteriores que empregam os seus diplomados e utilizam os seus serviços de investigação e extensão universitária. É composto pelos Conselheiros da UTL propostos pela FMV, pelos Presidentes dos órgãos de gestão e dos Departamentos, pelo Presidente da Associação de Estudantes e por representantes dos organismos públicos e de classe relacionados com a actividade dos Médicos Veterinários.


Unidades Orgânicas
Os Departamentos são unidades orgânicas da FMV, correspondendo a áreas vocacionais consolidadas do ensino e da investigação. São autónomos no que se refere à sua organização e realização das suas actividades de ensino, investigação, apoio ao desenvolvimento e prestação de serviços a entidades públicas e privadas.
A FMV conta com 4 Departamentos (Diário da República-II Série, 18 de Agosto de 2003):

Departamento de Morfologia e Função DMF
Presidente: Profª Doutora Graça Maria Ferreira Dias

Departamento de Sanidade Animal DSA
Presidente: Profª. Doutora Maria da Conceição Peleteiro

Departamento de Clínica DC
Presidente: Prof. Doutor Luis Lopes da Costa

Departamento de Produção Animal e Segurança Alimentar DPASA
Presidente: Prof. Doutor António Barreto


ENSINO

Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
Durante o Ano Lectivo 2006/2007 estiveram inscritos 702 Estudantes, 68% do sexo feminino, com a seguinte distribuição por ano:
1º Ano 127
2º Ano 114
3º Ano 123
4º Ano 136
5º Ano 110
Estágio 92

Concluiram o seu curso, em 2007, 92 alunos e 85% dos alunos acabaram o curso com idades até aos 25 anos. Cerca de 81,5% dos alunos concluem a sua licenciatura em 6 anos, sendo que a média de anos de permanência na FMV é de 6,4 anos.


Mestrados
Actualmente a FMV disponibiliza 2 outros cursos de Mestrado:
Mestrado em Segurança Alimentar
• Mestrado em Engenharia Zootécnica / Produção Animal, em conjunto com o Instituto Superior de Agronomia (consultar informação em www.isa.utl.pt)

Estes cursos têm em geral a duração de 2 anos, um curricular e um para a produção de uma dissertação, a qual após apreciação por um júri conferirá o grau de Mestre ao candidato.


Doutoramentos
A UTL, através da FMV, confere o grau de Doutor a candidatos que, após um período de estudos avançados em que demonstrem a sua capacidade para levar a cabo investigações originais, as relatem sob a forma de tese, na qual procedam ao debate crítico das ideias numa determinada área do conhecimento.
O curso de doutoramento em Ciências Veterinárias apresenta as seguintes especialidades: Clínica, Sanidade Animal, Produção Animal, Segurança Alimentar e Ciências Biológicas e Biomédicas. Este doutoramento inclui um componente de ensino. A dissertação será desenvolvida com base em trabalho de investigação, seja ele de índole fundamental ou aplicada, e relatada sob a forma de tese.

Formação Contínua
A formação ao longo da vida é um processo de aprendizagem e aquisição de competências relevantes e à medida, fora do quadro formal da atribuição de graus académicos.
Esta formação é importante para a renovação, consolidação e desenvolvimento de competências adquiridas através da prática profissional.
A FMV apresenta anualmente cursos de formação de natureza diversa e está ainda disponível para a colaboração com outras instituições no sentido do desenvolvimento de cursos específicos à medida das necessidades sentidas pelos profissionais.


INVESTIGAÇÃO

A actividade de Investigação e Desenvolvimento da FMV é coordenada pelo Centro de Investigação Interdisciplinar em Sanidade Animal (CIISA) em articulação com as estratégias definidas pelo Conselho Científico.
Do conjunto dos objectivos do CIISA destacam-se: a atribuição de financiamento a projectos, desenvolvimento de acções de divulgação da produção científica e promoção do regular funcionamento dos laboratórios de investigação através de uma criteriosa gestão de recursos.

O CIISA organiza-se em quatro áreas de intervenção:

A - Sanidade Animal e Prevenção. Com os núcleos de:
Epidemiologia Económica e Saúde Pública
Infecto-Contagiosas
Virologia e Imunologia
Bacteriologia e Imunidade das Mucosas
Parasitologia e Animais Silvestres

B – Segurança e Tecnologia dos Alimentos. Que inclui os núcleos de:
Bioquímica dos Alimentos
Inspecção Sanitária de Alimentos
Farmacologia e Toxicologia
Tecnologia dos Produtos Animais

C – Patologia e Clínica. A qual engloba os núcleos de:
Anatomia
Patologia e Histologia
Hospital Escolar e clínicas de especialidade:
Cirurgia, Medicina, Imagiologia.
Medicina de grandes animais

D – Biotecnologia e Produção Animal. Onde encontram expressão os núcleos de:
Fisiologia e Biologia do Desenvolvimento
Reprodução
Nutrição e Biotecnologia
Produção Animal
Zootecnia Tropical.

Coordenação
Toda a actividade do CIISA é definida por uma Comissão Científica que reúne periodicamente e que integra todos os responsáveis por projectos de investigação e representantes das áreas de investigação do CIISA. As decisões desta comissão são coordenadas e executadas pela equipa constituída por:
Prof. Doutor Luis Tavares (Coordenador); Prof. Doutor António Ferreira ; Prof. Doutor Carlos Martins; Profª. Doutora Cristina Vilela; Prof. Doutor Luis Ferreira; Prof. Doutor Rui Caldeira.
Pela sua grande dimensão e multidisciplinaridade o CIISA conta com um vasto número de colaboradores externos, nacionais e internacionais que constituem o grupo de aconselhamento da unidade.

Financiamento
O CIISA recebe financiamento plurianual através do Ministério da Ciência Inovação e Ensino Superior e tem sido sujeito a um processo de avaliação externa, conduzida por peritos internacionais de reconhecido mérito, coordenado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

A prestação de serviços à Comunidade desenvolve-se essencialmente através do Hospital Escolar e dos Laboratórios de Análises que lhe dão apoio.
A FMV presta também serviços na área da Reprodução Animal, Qualidade e Segurança Alimentar, nas áreas de Epidemiologia e Análise de Risco.